Fandango do Paraná

FANDANGO PARANAENSE

terça-feira, 4 de setembro de 2018

ELOIR (PORO) DE JESUS

Eloir Ribeiro de Jesus, o popular Poro, se destaca no cenário cultural através do resgate da cultura popular. Em 1999 iniciou as pesquisas juntamente com Aorelio Domingues em torno da Folia do Divino. 

Artista, artesão, fandangueiro, Poro é muito conhecido e querido por seus amigos.
Seu interesse em manter acesa a cultura popular foi além, e o Poro participou da criação da Associação de Cultura Popular “Mandicuera”, grupo que resgata e divulga manifestações como a Folia do Divino, o Boi de Mamão, Terço Cantado e o. fandango.
Fonte: https://folhadolitoral.com.br
 
Exímio tocador de adufo, uma tipo de pandeiro do fandango, Poro sempre participa dos bailes com o grupo Mandicuera. 
Recentemente passou por problemas de saúde mas está se recuperando e logo estará animando os bailes de fandango novamente e fazendo seus trabalhos com artesanato caiçara, como as miniaturas de rabecas e tamancos.





 

O que é o Fandango? - Por Lia Marchi

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017


Dezembro chegou,
o Natal se aproxima e eu agradeço muito a Deus,
por ter amigos que amam o Fandango Caiçara.
Que esta mensagem seja guardada
no fundo do seu coração,
queria lhe mandar uma mensagem muito,
mas muito linda,
mas só irás encontrá-la no coração.
Que a imagem acima traga uma completa harmonia,
Que nós possamos viver em um mundo de paz,
sem ódio, guerras e preconceitos.
Que nossas famílias se unam,
trazendo um mundo totalmente solidário
e que possamos aprender os grandes
ensinamentos do Grande Pai "D E U S".
Que o seu Natal seja completo de
Paz...
Alegria...
Amor...
Compreensão...
Que tudo isso esteja em ti durante todo
o ano e não apenas no Natal.

FELIZ NATAL! 

sábado, 28 de outubro de 2017

PROJETO MEMÓRIAS

O PROJETO MEMÓRIAS tem como objetivo registrar e difundir a cultura popular. Com produção coletiva o registro realizado em janeiro de 2015 irá compor o documentário sobre o Fandango na Ilha de Superaguí - PR. O Fandango Caiçara é uma expressão cultural ocorrente no litoral sul do estado de São Paulo e o litoral norte do estado do Paraná, trata-se de uma manifestação tradicional de final de trabalho coletivo, pois ao final dos atividades, a comunidade comemorava tocando, dançando e cantando o fandango. O lançamento antecipado desse trecho, é uma homenagem ao mestre fandangueiro Pedro Miranda (81 anos) que já faleceu.
Welligton Fernandes Pereira

GRUPO CANUTILHO TEMPERADO

O grupo CANUTILHO TEMPERADO de guaraqueçaba vem com tudo em suas novas composições prometendo levantar poeira do chão em todos os cantos do Brasil por onde passar *"PEGA FOGO NO SALÃO"* contatos para apresentações e espetaculos;
(41) 984163265 falar com Zé
Contato para shows (41) 998168808 falar com Aurélio


terça-feira, 1 de agosto de 2017

7.ª Festa do Fandango Caiçara

De 19 a 21 de agosto, acontece, em Paranaguá, a 7.ª Festa do Fandango Caiçara. O objetivo é fortalecer a cultural local através da troca de ideias em torno da única dança tipicamente paranaense e também a culinária local.
 

O evento será aberto às 15h, no auditório da Casa Cecy, com uma reunião do comitê Provisório de Salvaguarda do Fandango Caiçara. Às 19h, na Praça Cyro Abalém, será realizada uma mesa de abertura com representantes do grupo Pés de Ouro, Mandicuera, da Ilha dos Valadares, Mestre Romão, Fundação Municipal de Cultura, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e também com representantes da Secretaria de Estado da Cultura. 



Ainda na sexta-feira, 19, na Praça Cyro Abalém, na sequência, será feito o lançamento do livro "Ilha dos Valadares: História, Cultura e Meio Ambiente", escrito por Janelize Nascimento Felisbino e Cinthia Maria Sena Abrahão, e também abertura da Exposição Fotográfica de Caroline Castanho e Daniel Castellano. A programação de sexta-feira finaliza com o coquetel caiçara seguido de baile de fandango. 

No sábado, 20, as atividades iniciam às 8h com a abertura da cozinha caiçara na Associação Mandicuera. A partir das 10h, iniciam as oficinas, dentre as quais a de toques e versos com o Mestre Nemésio e o fandangueiro Aroldo. Na casa do Mestre Romão, bairro Sete de Setembro na Ilha dos Valadares haverá oficina de batidos e bailados. Na Associação Mandicuera acontece a oficina de preparação do Barreado e também de confecção de instrumentos de fandango com prosa a respeito das técnicas para construção de instrumentos de fandango caiçara. A programação de sábado ainda conta com grupo de trabalho (Colégio Cidália Rebello Gomes), transposições didáticas, e transmissão de saberes. Às 14h, na Capela do Divino, haverá prosa sobre a vivência de mulheres com o Fandango Caiçara. Às 17h, Assembleia Caiçara (Praça Cyro Abalém) com apresentação de resultados referente as Políticas de Transmissão / Lei Municipal de Fandango Caiçara. Às 20h, na Praça Cyro Abalém, será feita uma exibição (pré-estreia do projeto Registro de Toques dos Mestres do Fandango) da pesquisadora Lia Marchi. Às 21h, na Praça Cyro Abalém, o sábado encerra com baile de Fandango Caiçara com os grupos Raízes Fandangueiras (Superagui), Grupo Ilha dos Valadares, Fandango Caiçara de Ubatuba, Mandicuera e Manema.

A programação encerra no domingo, 21, às 8h, com a cozinha caiçara na Associação Mandicuera, 11h, na Capela do Divino, às 16h, na Praça Cyro Abalém festividade de encerramento com comidas típicas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

MUITO ALÉM DO SOM

Este vídeo é uma das micronarrativas que integram o webdocumentário "Superagui além do Trapiche", Trabalho de Conclusão do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo, produzido pelos estudantes Graziela Fioreze e Lucas Souza.