Fandango do Paraná: Novembro 2012

FANDANGO PARANAENSE

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

UMA GRANDE VITÓRIA PARA O FANDANGO CAIÇARA!

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, em sua última reunião do ano, aprovou nesta quinta-feira (29) as propostas de registro do Fandango Caiçara (baile popular, especialmente rural, ao som de viola ou sanfona, com danças de roda e sapateadas, alternadas por estrofes cantadas), do litoral de São Paulo e do Paraná e do tombamento da Ponte Ferroviária Eurico Gaspar Dutra, em Corumbá (MS) e da Ponte Pênsil Affonso Penna, em Itumbiara (GO). A reunião ocorreu no Palácio Gustavo Capanema, no centro do Rio de Janeiro, sob a coordenação da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado.

Uma grande vitória para o nosso fandango.

Entrega do pedido de registro do Fandango Caiçara como Patrimônio Cultural
 


Reunião do Conselho do IPHAN que definiu o Fandango Caiçara como Patrimônio Imaterial Brasileiro, no livro das Formas de Expressão - Rio de Janeiro, 29 de novembro de 2012.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

REGISTRO DO FANDANGO COMO PATRIMÔNIO BRASILEIRO


Conselho Consultivo avalia Registro do Fandango Caiçara como Patrimônio Cultural

Festas, trabalhos e a natureza são alguns dos temas que viram cantigas na tradição cultural comum no litoral de São Paulo e do Paraná

Trabalho e divertimento, música e dança, saberes e fazeres. Essas são algumas das características marcantes do Fandango Caiçara, uma expressão musical-coreográfica- poética e festiva encontrada, principalmente, nos municípios de Iguape e Cananéia, em São Paulo, e Guaraqueçaba, Paranaguá e Morretes, no Paraná, estendendo-se a pequenos trechos dos municípios de Paruíbe e Ilha Comprida, também em São Paulo.
O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural estará reunido no próximo dia 29 de novembro, no edifício Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, onde, entre
outros temas, avaliará a proposta de registro do Fandango Caiçara como Patrimônio Cultural do Brasil, a ser protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

O fandango é um elemento fundamental para a construção e afirmação da identidade cultural das comunidades caiçaras, que fortalece a articulação, resistência da identidade, e manutenção de suas práticas culturais. O pedido de reconhecimento e registro feito pelas associações Fandangueiros do Município de Guaraqueçaba, de Cultura Popular Mandicuéra, dos Jovens da Juréia, dos Fandangueiros de Cananéia, Cultural Caburé, e Rede Cananéia; além dos institutos Silo Cultural e de Pesquisa Cananéia foi apresentado ao Departamento do Patrimônio Imaterial (DPI-IPHAN), por meio do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP).

As Cantigas - versos improvisados ou de repertórios tradicionais - são criadas pelos fandangueiros, que também recriam as letras de acordo com acontecimentos cotidianos (trabalho, bailes, brigas, natureza, além de eventos históricos). O fandango classifica-se em batido (os dançantes usam tamancos e precisam ser preparados, devido à complexidade e variações dos passos) e bailado ou valsado (os pares se mantêm em roda e todos participam, sem coreografia específica). Muitas vezes um homem é o mestre ou puxador, seu tamanqueado é uma referência para os demais batedores. O fandango está ligado à organização do trabalho coletivo (mutirão), onde o dono da terra a ser trabalhada convoca a comunidade para auxiliá-lo. Vizinhos e
camaradas se reúnem para ajudar a erguer uma casa, varar uma canoa, fazer lanço de tainha, ou durante os preparativos para um casamento. Recebem como recompensa
um fandango, além de comida farta e aguardente.

As comunidades caiçaras comemoram, com fandango, os aniversários, casamentos, batizados, a Festa de São Pedro, romarias do Divino, e a louvação a São Gonçalo feita na abertura do fandango como pagamento de promessas. Os bailes são acompanhados de mesas fartas (pratos à base de peixe, mariscos, farinha de mandioca e de milho, carne de caça, doces, cachaças curtidas em ervas ou com melado). Nesse momento, a comunidade atualiza as notícias e reforça as relações de parentesco, a convivência entre tocadores, dançadores e a comunidade mantém a memória e a prática das diferentes músicas e danças, e a continuidade do conhecimento musical em torno do fandango e sua evolução.

Por meio do fandango, todo um sistema cultural se produz e reproduz, com diversas formas de execução de instrumentos musicais (viola, rabeca, adufo, violão e

cavaquinho, além de instrumentos de percussão), melodias, versos e coreografias. A viola de fandango ou fandangueira é feita com madeiras da região e pode ser construída através de dois processos: em fôrma ou cavoucada. Possui um variado número de cordas, cinco, seis, sete ou dez, além de uma corda mais curta, chamada
de turina, cantadeira ou piriquita, que dá o tom da voz do violeiro. As afinações podem ser de três tipos: pelas três, pelo meio ou intaivada (derivada de oitavada).

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural
Também está na pauta da reunião do Conselho Consultivo em Brasília a proposta de tombamento da Ponte Pênsil Affonso Penna, em Itumbiara – GO, e da Ponte Eurico
Gaspar Dutra, em Corumbá – MS.. O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, presidido pela presidenta do IPHAN, Jurema Machado, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22
conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade
Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.

Serviço:
Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural Data: 29 de novembro de 2012, de 10h às 18h
Local: Salão Portinari – Edifício Palácio Gustavo Capanema Rua da Imprensa, 16 – Centro
Rio de Janeiro – RJ

Mais informações para a imprensa: Assessoria de Comunicação IPHAN comunicacao@iphan.gov.br
Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br
(61) 2024-5476 / 2024-5477
Chico Cereto – chicocereto@gmail.com
(21) 2233-6334 / 9127-7387
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

FANDANGO NO MERCADO DO CAFÉ

No dia 10/11 aconteceu o baile de fandango com os grupos de Mestre Basílio e Pé de Ouro no mercado do café em Paranaguá. Um baile muito animado que contou com a presença de parnanguaras e turistas, e a nimação que ficou por conta dos fandangueiros não tem palavras. Foi simplesmente ótimo. Até o próximo.


REGISTRO DO FANDANGO CAIÇARA COMO PATRIMÔNIO BRASILEIRO


Por 

Joana Ramalho Ortigão Corrêa

(facebook)


Atenção, pessoal, chegou a hora! Dia 29 de novembro, às 9h, no Palácio Gustavo Capanema (Rio de Janeiro), será realizada a reunião do Conselho do Patrimônio do IPHAN que, dentre outras pautas, definirá a inclusão do Fandango Caiçara na Lista de Bens do Patrimônio Brasileiro.

A reunião é pública, portanto, todos aqueles que tiverem interesse em participar podem comparecer.

O pedido de registro foi encaminhado ao IPHAN em 2008 durante o II Encontro de Fandango e Cultura Caiçara, em Guaraqueçaba (PR), e contou com mais de 400 assinaturas de músicos, dançadores e parceiros da rede fandangueira. Entre 2010 e 2011, a pedido IPHAN, foi feito um extenso inventário de forma colaborativa com textos e registros fotográficos, sonoros e audiovisuais.

Esperamos que as comunidades caiçaras recebam esse merecido reconhecimento e e que tal título venha fortalecer a luta em prol da vitalidade de suas práticas e da garantia do direito ao uso de seus territórios.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

25.000 VISITAS


Chegamos na marca de 25.000 visitas no blog, com uma média de 1.000 acessos no mes.
Obrigado a todos que visitam o blog. A cultura do litoral agradece!

FANDANGO NO MANGUE SECO


sexta-feira, 2 de novembro de 2012

BOLINHO DE RAIA


Ingredientes:

300 g de Arraia dessalgado e desfiado
3 xícara chá de batatas cozidas e espremidas
1 colher sopa de farinha de trigo
Sal e pimenta-do-reino a gosto
3 ovos
2 colheres sopa de cheiro verde picado
Óleo para fritar

Modo de preparo:

1 - Salgue a arraia com sal grosso, deixe exposta por alguns dias
2 - Dessalgue a arraia, desfie e misture bem todos os ingredientes
3 - com uma colher de sopa, pegue porções da massa e frite em óleo bem quente até dourar

RECEITA DO BARREADO


Barreado para 10 pessoas:

Ingredientes:  
05  kg de Carne
1 ½ kg de Cebola            
200 gr. de Bacon
100 gr. de Sal
20  gr. de Cominho
50  gr. de Alho
05  gr. de Pimenta do reino
03  litros. de Água

*Farinhas de mandioca e de trigo, para Barrear (vedar) a tampa da panela.
500 gr. de Farinha de Mandioca
100 gr. de Farinha de Trigo

Modo de Preparo
1.Corta-se a Carne em forma de Cubo com média de 5 cm, sendo o mesmo com o Bacon, com média de 1 cm.
2.Bate-se no liquidificador : Cebola e Alho, com 1 lt de água.
3.Adicionar todos os ingredientes em uma panela: Carne, Cebola, Bacon, Sal, Cominho, Alho, Pimenta e Água.
4.Barrear (vedar) a tampa: Adicionar em um recipiente  Farinha de Mandioca, Farinha de Trigo e um pouco de água, misture, amasse com as mãos, até obter uma pasta. Barrear a tampa espalhando a massa com as mãos molhadas  deixando-a totalmente Barreada.
5.Após este preparo deixar o recipiente em Fogo Alto, até obter a fervura, chegando a este ponto Baixar o Fogo e aguardar em cerca de 8 horas estando em seu ponto ideal.

Acompanhamento:
Farinha de Mandioca
Banana
Arroz Branco     

Responsável pela Receita: Chefe de Cozinha, Restaurante Madalozo/Morretes Silvia Cardoso Rigloski

Dicas para tornar o Barreado mais saboroso:
1. Para preparar o prato com o Barreado e o seu pirão com a farinha de mandioca ele deve estar preferencialmente fervendo;
2. Acrescentar após preparar o prato algumas gotas de pimenta malagueta;
3. Recomenda-se saborear o barreado acompanhado de uma cachaça fina preferencialmente Morretense, cerveja ou vinho;
4.Para seguir os nossos antepassados, servir em panelas e cumbucas de barro.

Fonte: Restaurante Madalozo - Morretes/PR